Aproveite o melhor do Portal Cris Menegon! Mantenha seu Navegador sempre atualizado. Baixe o Internet Explorer 9
  • bm3 comunica

  • novobm3

Encontre no portal
ECONOMIA
Publicado por Cris Menegon Sex, 26 de Maio de 2017 09:31

A sucessão é uma situação que apresenta vários desafios, por isso este processo de transição deve ser planejado e realizado com cautela. Pesquisas apontam que apenas 30% das empresas familiares sobrevivem à segunda geração e apenas 5% à terceira geração.

 

Para e [...]

A sucessão é uma situação que apresenta vários desafios, por isso este processo de transição deve ser planejado e realizado com cautela. Pesquisas apontam que apenas 30% das empresas familiares sobrevivem à segunda geração e apenas 5% à terceira geração.

 

Para esclarecer algumas dúvidas acerca deste tema e das ações necessárias para realizar o processo sucessório, a ACIL realiza, em parceria com a Fundação Dom Cabral, a palestra "Identificando a vocação e construindo a legitimidade de um sucessor" voltada a empresários de Lages e região. A palestra será realizada no dia 05 de junho (segunda feira), às 19h30min, no auditório da ACIL.

 

O palestrante será Dalton Sardenberg, professor da Fundação Dom Cabral – FDC, nas áreas de Governança Corporativa, Gestão de Empresas Familiares, Gestão Estratégica e Administração de Conflitos; Mestre em Engenharia da Produção, com ênfase em Gestão de Negócios, pela Universidade Federal de Santa Catariana – UFSC; e Doutor pela Universidade de Birmingham, Reino Unido, em Governança Corporativa.

 

A palestra é gratuita e as vagas são limitadas. Clique aqui e faça já sua inscrição!

 
Publicado por Cris Menegon Sex, 26 de Maio de 2017 08:13

Fico sem entender porque nossa cidade não foi analisada, já que temos 295 municípios, mas apenas 138 foram analisados. Essa é uma das formas dos cidadãos fiscalizarem a administração municipal e contribuírem com a melhoria do município. Sem boa tran [...]

Fico sem entender porque nossa cidade não foi analisada, já que temos 295 municípios, mas apenas 138 foram analisados. Essa é uma das formas dos cidadãos fiscalizarem a administração municipal e contribuírem com a melhoria do município. Sem boa transparência não há uma boa gestão.


Com cinco anos de vigência, o cumprimento da Lei de Acesso a Informação (12.527, de 2011) avançou entre os municípios de Santa Catarina. É o que mostra o resultado da 3ª edição da Escala Brasil Transparente (EBT) divulgada recentemente pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU). Dos 138 municípios catarinenses analisados, 22 estão com a nota 10 e 68 receberam entre 8 e 10 na avaliação. Destes, 76 utilizam o Sistema Eletrônico do Serviço de Informação ao Cidadão (e-SIC) disponibilizado pela Federação Catarinense de Municípios (FECAM).


A ferramenta é referência no país e levou o coordenador de desenvolvimento regional da entidade municipalista, Emerson Souto, a ser um dos convidados para falar sobre a experiência no evento comemorativo de 5 anos da LAI do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU), no dia 11 de maio. Entre os outros municípios catarinenses avaliados na EBT, 46 apresentaram melhora da Nota em relação a 2ª Edição; 18 não tiveram variação entre uma edição e outra, 21 reduziram a nota e 53 não tinham sido analisados em 2015.


Ao comentar a evolução, Souto destaca que o modelo associativo municipal em Santa Catarina contribui para o efetivo cumprimento da LAI. Atualmente, dos 295 municípios catarinenses, 209 utilizam o sistema de acesso à informação disponibilizado pela FECAM. Outras 106 Câmaras de Vereadores e 26 associações também usam a ferramenta.


É o que atesta a análise da CGU, realizada entre junho e dezembro de 2016, que aponta significativa melhora no conjunto dos entes avaliados em relação a questões de transparência pública, como: regulamentação da LAI; existência de canal (presencial e eletrônico) para solicitações de informação pelos cidadãos; e recebimento das informações solicitadas.


São Joaquim é um dos municípios catarinenses que mais avançou no último ano no cumprimento da LAI. Em 2015, possuía nota 0 e neste ano passou para 9,16, a quinta melhor nota do estado e que ocupa a posição 172 nacionalmente, entre 2.301 municípios avaliados. A melhoria começou em setembro de 2015.



 

Confira no Link a relação:

https://relatorios.cgu.gov.br/Visualizador.aspx?id_relatorio=23#P64215e731be94014b818a04c807ab618_8_27iT0

 

 


Atualizado em Sex, 26 de Maio de 2017 09:30
 
Publicado por Cris Menegon Qui, 25 de Maio de 2017 08:07

O Banco da Família está oferecendo o MEI JURO ZERO a cerca de dois mil cadastrados na região de Lages. O MEI JURO ZERO é uma linha de crédito criada pelo governo do Estado e disponibilizada pelo Banco da Família em parceria com o Badesc, possibilitando que microempreendedores apliquem esse [...]

O Banco da Família está oferecendo o MEI JURO ZERO a cerca de dois mil cadastrados na região de Lages. O MEI JURO ZERO é uma linha de crédito criada pelo governo do Estado e disponibilizada pelo Banco da Família em parceria com o Badesc, possibilitando que microempreendedores apliquem esse crédito em suas atividades, potencializando os pequenos negócios.

 

Em tempos de crise econômica, como o atual, com o aumento do número de pessoas desempregadas, o microcrédito consolida-se como uma importante ferramenta de combate à pobreza e de inclusão social, já que é uma alternativa de recursos a pequenos empreendedores, sejam eles formais ou informais. O microcrédito destina-se principalmente aos que não têm acesso, ou àqueles que encontram muita dificuldade de acesso aos serviços bancários das instituições comerciais. Esse crédito concedido movimenta a economia positivamente, gerando empregos diretos e indiretos, alavancando os pequenos negócios.
Através de suas operações, o Banco da Família é responsável pela manutenção de mais de 134 mil empregos e por mais de 16 mil novos empregos gerados. Desde sua fundação em 1998, o Banco da Família injetou na economia dos municípios de sua abrangência cerca de 500 milhões de reais em mais de 240 mil contratos.

 
Publicado por Cris Menegon Sáb, 29 de Abril de 2017 10:41

O recente levantamento de variação de valores dos mais de 40 itens de alimentação, higiene pessoal e limpeza doméstica mais utilizados pela população, realizado pelo Programa de Defesa do Consumidor (Procon), nos dias 25, 26 e 27 de abril, nos nove maiores supermercados de Lages, se consta [...]

O recente levantamento de variação de valores dos mais de 40 itens de alimentação, higiene pessoal e limpeza doméstica mais utilizados pela população, realizado pelo Programa de Defesa do Consumidor (Procon), nos dias 25, 26 e 27 de abril, nos nove maiores supermercados de Lages, se constatou que a cesta básica de menor valor está sendo comercializada a R$ 182,04 (estabelecimento comercial recém-inaugurado com oferecimento de diversas ofertas ao consumidor). Já os produtos básicos de maior valor verificado custam, no total, R$ 253,43 em determinado supermercado. Contudo, o preço médio da cesta básica esteve em R$ 231,31. A pesquisa pode ser acessada na íntegra em http://www.lages.sc.gov.br/procon/pesquisas.php.

 

A tabela do Procon proporciona aos consumidores informações detalhadas, como apresentação do produto na embalagem, com suas referidas gramaturas, marca, valor, preço médio e menor obtidos e comparativo entre o preço médio obtido e o menor, por estabelecimento. Os campeões no preço médio, em sua categoria, foram açúcar refinado de cinco quilos (R$ 11,55), coxão mole (R$ 22,60 por quilo), alho (200 gramas - R$ 8,81), desodorante masculino em aerosol (R$ 10,84, com 150 ml) e o sabão em barra com cinco unidades (R$ 6,32). A compilação de dados registra, também, oscilações de preços na pesquisa alternativa, com valores de produtos especiais - sem açúcar, sem glúten e sem lactose.

 

Os responsáveis pela pesquisa são Gisele Furtado Dornelles e Zianai Oliveira Melo, com supervisão do coordenador executivo do Procon, Julio Borba. O Procon está situado na rua Martinho Nerbass, 29, Centro, próximo ao Terminal Urbano. Funciona de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h. Contato: 3222-3921.

 
Publicado por Cris Menegon Sáb, 22 de Abril de 2017 09:11

O presidente em exercício do Observatório Social de Lages, Fabiano Ventura, esteve presente na reunião da diretoria da ACIL, realizada no último dia 17 de abril. Ele veio prestar contas à Entidade mantenedora sobre as ações que o Observatório realiza na cidade. A estimativa é de que ao l [...]

O presidente em exercício do Observatório Social de Lages, Fabiano Ventura, esteve presente na reunião da diretoria da ACIL, realizada no último dia 17 de abril. Ele veio prestar contas à Entidade mantenedora sobre as ações que o Observatório realiza na cidade. A estimativa é de que ao longo desses quatro anos de atuação foram economizados aos cofres públicos do município cerca de quatro milhões de reais.

 

O Observatório Social é uma Organização não Governamental que atua no controle social e de educação fiscal. Ele monitora editais de licitação e promove palestras nas escolas, entidades, a respeito de educação fiscal. "O único poder que o observatório tem é de solicitar informação", destacou Ventura. Segundo ele, nesses quatro anos de atuação em Lages vários casos podem ser citados, por exemplo, uma licitação que incluía selante para dentes. O Observatório constatou que o preço de mercado do selante era de 24 reais e na licitação constava como mais de sete mil reais cada um, o resultado foi a economia de 368 mil reais aos cofres públicos.

 

Outro caso foi a licitação de 32 mil reais para compra de câmeras fotográficas e notebooks. Após o observatório pedir a justificativa da compra, o edital foi cancelado. O caso mais recente aconteceu na semana passada, onde foi cancelado um edital de obras de 155 mil reais. O orçamento continha a demolição e reconstrução de um muro de 60 metros cúbicos e na realidade a área tinha quatro metros cúbicos. "Observatório chama essas situações de fragilidades, porque não é possível provar se é má fé ou erro de digitação, por exemplo", frisou o presidente do Observatório Social.

 

Ventura também destacou a necessidade de aumentar a arrecadação da instituição. Segundo ele se dobrar o orçamento será possível ampliar o trabalho realizado, além do acompanhamento da licitação poderão acompanhar a entrega dos produtos e serviços licitados e assim verificar se está tudo conforme descrito no edital.

 

Nos próximos dias 19 e 20 de maio, no auditório da ACIL, o Observatório Social vai realizar capacitação para pessoas que desejem ser voluntários da ONG e para a comunidade em geral. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo telefone (49) 3223 9755.

Debora Puel

 
Publicado por Cris Menegon Ter, 18 de Abril de 2017 08:41

A Casan divulgou nesta segunda-feira, 17, seu balanço financeiro e o relatório anual de atividades 2016, período em que a companhia obteve receita operacional recorde de R$ 1 bilhão – valor 15% superior ao apurado no exercício anterior.

 

A companhia apresentou crescim [...]

A Casan divulgou nesta segunda-feira, 17, seu balanço financeiro e o relatório anual de atividades 2016, período em que a companhia obteve receita operacional recorde de R$ 1 bilhão – valor 15% superior ao apurado no exercício anterior.

 

A companhia apresentou crescimento significativo no lucro líquido, que passou de R$ 10,9 milhões para R$ 28,3 milhões (acréscimo de 159%). São também destaque do período os recursos aplicados nos sistemas de água e esgotamento sanitário, que chegaram a R$ 240,1 milhões. O plano de ação da Casan para o período 2017 a 2021 prevê R$ 1,5 bilhão em investimentos.

 

"Os indicadores demonstram a evolução do desempenho econômico da companhia, que teve melhorias na receita, nos resultados, na rentabilidade patrimonial e nas margens apuradas", avalia o diretor financeiro e de Relação com os Investidores, Laudelino de Bastos e Silva. Os números positivos do novo balanço são resultado de um aumento de 1,7% no número de economias de água e de 6,3% no número de economias de esgoto – área em que a Casan tem atualmente seu foco de investimentos.

 

De acordo com o diretor, um dos destaques é a margem operacional, indicador que demonstra quanto das receitas líquidas são provenientes de vendas e serviços das atividades da própria companhia. Em contrapartida, o endividamento da Casan foi elevado e a liquidez reduzida. "Esse cenário reflete o movimento de ampliação do atendimento da Casan, já que boa parte dos investimentos está sendo realizada com recursos financiados em instituições nacionais e internacionais, como a Agência Francesa e a Agência Japonesa", explica o diretor.

 
Publicado por Cris Menegon Sáb, 08 de Abril de 2017 08:43

O Núcleo de Contadores da ACIL (NUCONT), em parceria com o Conselho Regional de Contabilidade (CRC-SC), com o Sindicato dos Contabilistas de Lages (Sindicont Serra) e com o sindicato das Empresas Contábeis de SC (Sescon) realizaram, na manhã desta sexta-feira (07/04) a campanha "Declare Certo" [...]

O Núcleo de Contadores da ACIL (NUCONT), em parceria com o Conselho Regional de Contabilidade (CRC-SC), com o Sindicato dos Contabilistas de Lages (Sindicont Serra) e com o sindicato das Empresas Contábeis de SC (Sescon) realizaram, na manhã desta sexta-feira (07/04) a campanha "Declare Certo". A iniciativa, que foi realizada no calçadão da Praça João Costa, visou esclarecer dúvidas da população sobre a prestação de contas com a Receita Federal, através da declaração do Imposto de Renda.

 

O vice coordenador do NUCONT, Felipe Quevedo, explica que, atualmente, a Receita Federal possui inúmeras formas de fazer cruzamento das informações do contribuinte. Por isso é importante reunir toda a documentação de despesas médicas, de rendimentos e de variações patrimoniais ao longo do ano, a fim de comprovar e evitar transtornos na hora de prestar contas com o leão.

 

Outras despesas que podem ser abatidas das receitas tributáveis são despesas estruturadas em livro caixa, pensão alimentícia, contribuição para previdência social, a soma das parcelas previstas na tabela progressiva mensal nos meses de 2016 relativas à aposentadoria, pensão, transferência para reserva remunerada ou reforma, pagas pela previdência oficial, ou privada, a partir do mês em que o contribuinte completar 65 anos de idade (janeiro até dezembro R$ 1.903,98). Limite anual de R$ 2275,08 por dependente. Despesa com instrução, limitada a R$ 3561,50.

 

Um apelo que também foi repassado à população durante o dia de campanha é para que o contribuinte, tanto pessoa física quanto jurídica, deixe parte de seus impostos em Lages, em prol das crianças e dos idosos, para o Fundo Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (FMDPI) e/ou para o Fundo Municipal para Infância e Adolescência (FIA).

 

A orientação é para que os interessados conversem com seus contadores a fim de fazer a alteração, a qual é permitida em lei. Para pessoa jurídica de lucro real, o valor a ser deixado na cidade é de 1%, já para pessoa física o percentual sobe para 6% do imposto devido, ou ainda, 3% para pessoa física, no período de 01 de janeiro a 30 de abril. O prazo para declaração do Imposto de Renda 2017 termina no último minuto do dia 28 de abril.

Debora Puel

 
Publicado por Cris Menegon Sex, 07 de Abril de 2017 07:32

O prazo para declaração do Imposto de Renda 2017 termina no dia 28 de abril e muitas dúvidas surgem na hora de preencher o formulário, principalmente porque são implementadas mudanças a cada ano. É preciso ficar atento a todos os detalhes, pois um erro simples pode fazer o contribuinte cai [...]

O prazo para declaração do Imposto de Renda 2017 termina no dia 28 de abril e muitas dúvidas surgem na hora de preencher o formulário, principalmente porque são implementadas mudanças a cada ano. É preciso ficar atento a todos os detalhes, pois um erro simples pode fazer o contribuinte cair na malha fina.

 

Para orientar e esclarecer as principais dúvidas da população na hora de prestar contas com a Receita Federal, através da declaração do Imposto de Renda, o Núcleo de Contadores da ACIL – NUCONT realiza, em parceria com o CRC-SC, Sindicont Serra e Sescon/SC, a campanha "Declare Certo".

 

Para o coordenador do NUCONT, o contabilista Aldo Esmério, a campanha "orienta e esclarece a população quanto a sistemática do Imposto de Renda. Esta é uma ação que irá levar a informação de forma gratuita e em local acessível para que os contribuintes tirem todas as suas dúvidas com profissionais da área contábil".

 

A campanha Declare Certo será realizada no dia 07 de abril, das 9 horas às 17 horas, no calçadão da Praça João Costa. A orientação será prestada de forma gratuita por profissionais contábeis ligados ao Núcleo de Contadores, CRC-SC, Sindicont Serra e Sescon/SC.

 

Serviço:

 

Campanha Declare Certo
Dia: 07 de abril (sexta feira)
Horário: 9h às 17h
Local: Calçadão da Praça João Costa
Mais Informações: 3251-6617

 
Publicado por Cris Menegon Qui, 06 de Abril de 2017 08:15

As novas regras no uso do rotativo do cartão de crédito, que entraram em vigor nesta semana, e impedem o contínuo parcelamento da fatura, não devem contribuir para reduzir o número de endividados, na avaliação da Federação das CDLs de Santa Catarina (FCDL/SC).

 

O em [...]

As novas regras no uso do rotativo do cartão de crédito, que entraram em vigor nesta semana, e impedem o contínuo parcelamento da fatura, não devem contribuir para reduzir o número de endividados, na avaliação da Federação das CDLs de Santa Catarina (FCDL/SC).

 

O empresário Ivan Roberto Tauffer, presidente da entidade, lembra que "enquanto o percentual de endividamento no crediário tem sido estável nos últimos meses, em função da cautela do consumidor e do recuo no varejo, a mudança nas regras ainda causa confusão para o catarinense e a consequência será a redução do poder de compra".

 

Outro fator que deve ser considerado é o elevado percentual de juros - que chegou a 484,6% ao ano, registrado em dezembro, o que equivale a média de 15,85% ao mês.

 

O crediário, ressalta Tauffer, continua a ser a melhor opção para as compras parceladas, em função da taxa de juros mais baixa, da ampla proteção ao crédito por meio das lojas ligadas ao Sistema de Proteção ao Crédito (SPC) e da possibilidade de negociação direto com o lojista.

Palavra.com

 
Publicado por Cris Menegon Qua, 05 de Abril de 2017 07:37

No final do mês de março, o Programa de Defesa do Consumidor (Procon) de Lages desenvolveu a pesquisa especial de Páscoa, com a abordagem do preço de ovos, barras de chocolate e caixas de bombons vendidos nos oito maiores supermercados da cidade. Este levantamento observou as oscilações de [...]

No final do mês de março, o Programa de Defesa do Consumidor (Procon) de Lages desenvolveu a pesquisa especial de Páscoa, com a abordagem do preço de ovos, barras de chocolate e caixas de bombons vendidos nos oito maiores supermercados da cidade. Este levantamento observou as oscilações de valores das três maiores marcas do segmento: Lacta, Nestlé e Garoto, em suas diferentes gramaturas de produto. Além da tabela, está disponível aos consumidores a conferência e os cálculos de flutuação de preços.

 

Considerada a equiparação entre 2016 e 2017, a líder da diferenciação de preço foi a barra de chocolate. Em 2016, a barra de determinada marca, com 180 gramas custava R$ 4,70, e neste ano, a barra com 125 gramas custa R$ 5,10. A diferença é de 56,26%. Em relação à caixa de bombons, determinada marca apresentava o valor de R$ 8,10 em 2016, com 400 gramas, e em 2017 está a R$ 8,32, sendo a caixa com 300 gramas, resultando na variação de 36,94%. A conclusão é de que os volumes diminuíram e os preços aumentaram. O comparativo completo poderá ser visualizado no link

http://www.lages.sc.gov.br/procon/pesquisas.php

 

O trabalho do Procon traz, ainda, o comparativo do preço médio da cesta básica com os itens essenciais em alimentos, higiene pessoal e limpeza doméstica. Em março, a cesta custou R$ 233,18, com variação de -2,83% em relação a fevereiro. Demais dados, como comparações entre janeiro e fevereiro e o acumulado do ano, também constam na tabela de auxílio aos consumidores. As atividades do Procon acontecem sob a supervisão do Executivo Julio Borba.

 
Publicado por Cris Menegon Seg, 03 de Abril de 2017 09:20

Com as celebrações da Páscoa chegando e a procura por produtos alusivos à data em alta, principalmente o chocolate, o Programa de Defesa do Consumidor (Procon) de Lages realizou pesquisa de preços para ovos de páscoa e os principais chocolates comercializados nos supermercados do município [...]

Com as celebrações da Páscoa chegando e a procura por produtos alusivos à data em alta, principalmente o chocolate, o Programa de Defesa do Consumidor (Procon) de Lages realizou pesquisa de preços para ovos de páscoa e os principais chocolates comercializados nos supermercados do município.

 

A diferença de preços varia em cada estabelecimento de acordo com a marca e peso e podem ultrapassar os 37% pelo mesmo produto. Exemplo clássico é um ovo de chocolate da marca Garoto de 357g, têm uma grande variação entre os supermercados de Lages. Em um supermercado está no valor de R$ 39,99, o mesmo produto está em outro supermercado pelo valor de R$ 54,78.


Portanto pesquisar é a melhor solução para sua economia na hora de comprar não só so ovos de chocolate.

 

Clique na imagem para ver as tabelas de pesquisa.

 

tabela2222

tabela2333

 

 

 

 


Atualizado em Seg, 03 de Abril de 2017 09:30
 
Publicado por Cris Menegon Dom, 02 de Abril de 2017 10:28

O fim da desoneração da folha de pagamento para 50 setores da economia terá impacto direto no varejo e, consequentemente, lesará o consumidor. A avaliação é da Federação da CDLs de Santa Catarina (FCDL/SC), que critica a medida anunciada nesta semana pelo Ministério da Fazenda. A percep [...]

O fim da desoneração da folha de pagamento para 50 setores da economia terá impacto direto no varejo e, consequentemente, lesará o consumidor. A avaliação é da Federação da CDLs de Santa Catarina (FCDL/SC), que critica a medida anunciada nesta semana pelo Ministério da Fazenda. A percepção é que os empresários perderão ainda mais poder de investimento e serão forçados a revisar o porte de seus empreendimentos com a retomada da cobrança.

 

Para Ivan Tauffer, presidente da entidade, a decisão vai de encontro ao que o setor considera necessário para contribuir no reaquecimento da economia brasileira. "O momento é de auxílio para a manutenção dos empregos e dos estímulos que mantêm a economia minimamente aquecida. A volta da cobrança certamente inibirá novas contratações, além de transferir este custo ao consumidor final", pondera o dirigente.

 

Criada em 2011, a desoneração permitia que alguns setores como de fabricação de produtos alimentícios, máquinas e equipamentos e tecnologia da informação deixassem de recolher a contribuição previdenciária patronal de 20% sobre a folha e passassem a pagar entre 1% e 4,5% sobre o faturamento.

 

A justificativa do Ministério da Fazenda é que a decisão permitirá o recolhimento de aproximadamente R$ 4,8 bilhões ainda neste ano, mas Tauffer alerta para as consequências. "Nossa ponderação para que isto seja revisto é por compreendermos que onerar ainda mais o empresário só penaliza quem já não possui lastro financeiro e comprometerá os empreendimentos atuais", observa Tauffer.

Palavra.com

 
Início
Anterior
1
Página 1 de 81

Vídeo em Destaque

Programa Papo De Mulher: Escolha das Soberanas da Festa do Pinhão 2017
Publicidade

fabianamassas

aguasdepalmas

 

 

garden

 

 

 unifacvestmarco

  

 

camara2015ok

 

 

 

 

anucio1

TELALAGES

caes1

papo mulher