Aproveite o melhor do Portal Cris Menegon! Mantenha seu Navegador sempre atualizado. Baixe o Internet Explorer 9
  • papodemulherbannernovo

Encontre no portal
Publicado por Cris Menegon Ter, 18 de Abril de 2017 08:40

A equipe Lages Xadrez Clube disputa, neste final de semana, o FENAC- FESTIVAL NACIONAL DA CRIANÇA. A competição acontece em Brasília-DF, entre os dias 19 e 23 de abril e reúne os melhores jogadores do Brasil até 14 anos. Em disputa, o título Nacional nas categorias Sub 8,10, 12 e 14 anos e [...]

A equipe Lages Xadrez Clube disputa, neste final de semana, o FENAC- FESTIVAL NACIONAL DA CRIANÇA. A competição acontece em Brasília-DF, entre os dias 19 e 23 de abril e reúne os melhores jogadores do Brasil até 14 anos. Em disputa, o título Nacional nas categorias Sub 8,10, 12 e 14 anos e uma vaga para o Campeonato Mundial e Pan-Americano de Xadrez. Cada jogador disputa 07 (sete) partidas de 04 (quatro) horas cada e serão premiados com troféus (os 3 primeiros) e medalhas (até 10° lugar).


De Lages, 03 enxadristas disputam a competição, com destaque para Luiz Henrique da Silva Bugança (Colégio Univest), atual Campeão Brasileiro Sub 10 e que esse ano disputa a Sub 12. Luiz é Tetracampeão Catarinense e 3° Lugar no Pan 2016. Iniciou sua caminhada na Escola Municipal Professor Trajano e em 2016 foi selecionado no Programa Bolsa Atleta do Colégio Univest e com isso teve um grande incentivo para continuar treinando. Segundo o professor e Mestre Nacional, Marco Cordeiro, o programa beneficia os destaques no esporte oriundos de escolas públicas e contribuiu muito com a modalidade: "Eles sentem-se mais motivados e compromissados com o projeto", analisa Marco, que acredita numa boa campanha dos enxadristas na Capital Federal: "Nunca é fácil por tratar-se de um Nacional, mas estamos confiantes numa boa campanha", destaca Marco.


Além de Luiz, Clarissa dos Santos Passos (Colégio Objetivo) e Vitória Luiza de Liz (Colégio Estadual Flordoardo Cabral) também representam a cidade no Brasileiro. Clarissa já foi Bronze no Brasileiro de 2015 e disputa a Sub 14. Vitória faz sua estreia no FENAC, mas tem bons resultados em 2016, como ouro na OLESC, em disputa individual (Desempenho por Tabuleiro).


Para o Nacional, os enxadristas tiveram apoio do Colégio Univest, Colégio Objetivo, Colégio Flordoardo Cabral, Deputado Fernando Agustini Coruja, Transul, BHC , GTS do Brasil, Patricia Mituti, Melissa Candido Nunes e André Furlan. A equipe embarca nesta quarta-feira pela manhã, com a Delegação catarinense, num total de 30 integrantes do estado catarinense.

 
Publicado por Cris Menegon Seg, 17 de Abril de 2017 08:42

Sommelier ensina a diferença entre champanhe, espumante, frisante e sidra

 

"Nas vitórias é merecido, nas derrotas é necessário", já dizia Napoleão Bonaparte sobre a champanhe. A bebida, que é símbolo das comemorações é uma ótima pedida para o verão, porém muit [...]

Sommelier ensina a diferença entre champanhe, espumante, frisante e sidra

 

"Nas vitórias é merecido, nas derrotas é necessário", já dizia Napoleão Bonaparte sobre a champanhe. A bebida, que é símbolo das comemorações é uma ótima pedida para o verão, porém muita gente não sabe a diferença entre a champanhe e outras bebidas borbulhantes.


Aliás, a própria champanhe foi criado por acaso, quando em 1668 o abade Dom Pierre Pérignon, que dá nome à bebida, percebeu que o vinho das uvas da região de Champagne desenvolvia uma fermentação secundária, que, em razão da colheita prematura, produzia pequenas bolhinhas.


Na época recomendava-se descartar a bebida, mas Dom Pérignon foi teimoso e resolveu favorecer e controlar essa fermentação secundária, aprisionando o gás carbônico na garrafa e conferindo vida ao champanhe.


A bebida costuma ser mais cara que as variações borbulhantes, como espumante, frisante ou sidra, mas independente da escolha da bebida, o importante é brindar o momento conforme o seu bolso permitir.


Quem explica a diferença entre estes tipos de bebida é a sommelier Malu Soares, que comanda a Delli Divinos, em Balneário Camboriú. Malu comenta que embora a espumante seja a bebida mais procurada na loja, muita gente tem dúvidas sobre as bebidas e qual servir em certas ocasiões.
Para elucidar a diferença entre elas a sommelier preparou um roteiro, pontuando as características que diferenciam champanhes, espumantes, frisante e sidras. Confira!

 

Champanhe


Champanhe é um vinho espumante como qualquer outro, feito com uvas fermentadas, porém o método de produção da Champagne é o champenoise, ou seja, a segunda fermentação é feita na garrafa e sua produção também obedece uma série de regras, umas delas é que somente as uvas chardonnay, pinot noir e pinot meunier podem ser utilizadas na fabricação. Sua qualidade se destaca, e não é à toa que uma garrafa pode chegar a custar milhares de dólares. Na Delli Divinos existem opções entre R$ 380 a três mil reais.


Qualquer outra parte do mundo pode produzir, e de fato produz, vinhos espumantes. No entanto, somente os que vêm da região de Champagne podem ser chamados assim e um bom champanhe harmoniza muito bem com todos os tipos de queijo, canapés, foie gras.

 

Espumante


É o vinho cujo gás carbônico se origina na segunda fermentação de um vinho base já fermentado e feita em tanques de inox. Isso quer dizer que não há adição artificial de gás. É sempre elaborado com uvas viníferas, ou seja, aquelas utilizadas para fazer os vinhos finos. O espumante possui uma grande variedade de rótulos, e isso influencia na hora de harmonizar a bebida. O método de produção, a variedade de uva e a quantidade de açúcar residual são alguns desses fatores que influenciam no processo de harmonização. Por ser, em geral, uma bebida fresca e elegante, o espumante casa muito bem acompanhando comidas leves e sutis. Os valores na loja variam entre R$ 26,00 a R$ 300,00.

 

Frisante

 

O vinho frisante possui um pouco de gaseificação, que pode ser tanto obtida pela fermentação ou adicionada depois de pronto. Possui entre 7 e 14% de teor alcoólico. O método de obtenção das bolhas, natural ou artificial deve ser informado no rótulo. Possui menos gás e menos espuma que o espumante. Garrafas na Delli Divinos partem de 26,00 reais.

 

Sidra


É a bebida preparada a partir da fermentação do suco da maçã. Nasceu na Europa, e ainda hoje é apreciada por lá e por aqui. A adega não trabalha com as sidras, mas é possível encontrá-las a por menos de dez reais no comércio da região.

 

Agência A


Atualizado em Seg, 17 de Abril de 2017 08:47
 
Publicado por Cris Menegon Sáb, 15 de Abril de 2017 08:50

Parabéns a todos que compareceram na Câmara Municipal onde se realizou na noite de quarta-feira (12) uma audiência pública referente aos animais errantes de Lages e políticas públicas voltadas à causa animal. De autoria do vereador Bruno Hartmann (PSDB), o debate chegou ao consenso que a f [...]

Parabéns a todos que compareceram na Câmara Municipal onde se realizou na noite de quarta-feira (12) uma audiência pública referente aos animais errantes de Lages e políticas públicas voltadas à causa animal. De autoria do vereador Bruno Hartmann (PSDB), o debate chegou ao consenso que a falta de consciência da população é a principal causa da existência de animais errantes na cidade. A falta de políticas públicas nesta área é outro fator que contribui para que a rua se torne o destino desses animais.

 

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que para cada sete pessoas exista um animal de rua. Nessa perspectiva, levando em consideração o número de habitantes da cidade, Lages teria em torno de 20 a 30 mil animais errantes, porém não existe nenhum dado registrado pelo município a respeito dessa quantidade, que pode ser ainda superior. "Enquanto o dono do animal não for responsabilizado pelo ato de abandono, esses números continuarão aumentando. O município precisa investir em campanhas de educação alertando sobre importância da posse responsável", destaca Bruno.

 

Atualmente, o município não dispõe de uma política que determine ações de controle aos animais de rua. O secretário municipal de Serviços Públicos e Meio Ambiente, Euclides Mecabô, disse que a Prefeitura está trabalhando para encontrar uma solução para esse problema. "Estamos conversando com nossa equipe sobre quais medidas podemos adotar para amenizar essa situação. Precisamos que a comunidade se responsabilize e faça a sua parte não abandonando os animais e não os alimentando, no caso específico dos pombos presentes na cidade. Agindo assim, a proliferação desses animais pode se tornar um problema de saúde pública em virtude das doenças por eles transmitidas", salienta o secretário.

 

A gerente do Centro de Controle de Zoonoses, Maricéia Coelho Bronner, enfatiza que o trabalho realizado no órgão é de extrema importância para o bem-estar animal e da população. Uma sugestão apontada por ela seria a criação do SUS Animal. "Esse é um programa possível de ser realizado e poderia atender essa demanda. Os vereadores precisam se reunir com as entidades de proteção animal para elaboração do projeto de um hospital público para animais", sugere.

 

A sessão foi presidida pelo vereador Luiz Marin (PP) e a contou com a participação da comunidade em geral e de representantes das Ong's de proteção animal que junto às autoridades competentes puderam apontar algumas alternativas para resolver essa questão. "Nós protetores dos animais, acreditamos que a solução para diminuir a quantidade de cães nas ruas está na castração em massa dos animais errantes e dos animais pertencentes às famílias de baixa renda", conclui o vereador Bruno.

 

 
Publicado por Cris Menegon Sáb, 15 de Abril de 2017 08:38

As coordenadoras dos nove encontros regionais do PMDB Mulher de Santa Catarina estiveram reunidas, na noite da última quarta-feira (12), em Florianópolis, para definir detalhes do eventos, que serão realizados a partir do dia 6 de maio, começando pela cidade de Gaspar, com a participação da [...]

As coordenadoras dos nove encontros regionais do PMDB Mulher de Santa Catarina estiveram reunidas, na noite da última quarta-feira (12), em Florianópolis, para definir detalhes do eventos, que serão realizados a partir do dia 6 de maio, começando pela cidade de Gaspar, com a participação das regionais do vale e médio vale do Estado. Nos encontros, o segmento vai colher demandas e sugestões para a construção de um documento que será entregue à direção partidária, como proposta para inclusão no Plano de Governo do PMDB catarinense.

 

A presidente do PMDB Mulher, deputada Ada de Luca, a deputada Dirce Heiderscheidt e a tesoureira do segmento, Cynthia Camargo Mariani, todas coordenadoras dos encontros em suas respectivas regiões, explicaram que a reuniões servirão para ouvir as demandas locais, voltadas à mulher. "Vamos percorrer o Estado para ouvir as mulheres, conhecer as demandas de cada região e construir uma proposta consistente e adequada à realidade da mulher catarinense no novo contexto político do País", explicou a deputada Ada de Luca.

 

De acordo com o a deputada Dirce Heiderscheidt, os eventos contarão com a participação das lideranças estaduais da sigla e com representantes do PMDB Mulher de cada região do Estado. "Vamos mobilizar as mulheres e convidá-las a participar de forma mais efetiva dos encaminhamentos partidários".

 

Ainda, os eventos servirão de palco para a formação de mediadoras para os cursos de formação política da Fundação Ulysses Guimarães. "A FUG vai apresentar os cursos voltados para à igualdade de gêneros, estimulando a participação da mulher e multiplicando conhecimento junto à base partidária", destacou Cynthia Camargo Maraini.

 

O primeiro encontro regional será realizado no dia 6 de maio, das 9h30 às 13 horas, na Sociedade Alvorada, em Gaspar.

 

 

Região Serrana será 15/07

 
Publicado por Cris Menegon Sáb, 15 de Abril de 2017 08:33

Nem o frio e a fraca chuva da manhã desta Sexta-Feira Santa (14) impediram que milhares de pessoas, entre a comunidade lageana e turistas, subissem o Morro da Cruz. Um momento de fé e reflexão, onde os fiéis, cada um na sua particularidade ou em grupos, rezavam, oravam e lembravam a crucifica [...]

Nem o frio e a fraca chuva da manhã desta Sexta-Feira Santa (14) impediram que milhares de pessoas, entre a comunidade lageana e turistas, subissem o Morro da Cruz. Um momento de fé e reflexão, onde os fiéis, cada um na sua particularidade ou em grupos, rezavam, oravam e lembravam a crucificação de Jesus Cristo e sua morte no calvário.

 

No alto do Morro centenas de velas acesas nos pés da cruz simbolizaram o respeito da população nesta data religiosa. A capelinha totalmente reformada e revitalizada, pela Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente, também recebeu a comunidade nas suas orações e preces. Um vídeo com mensagens de Frei Silvério foi exibido no local.

 

O prefeito Antonio Ceron exaltou a demonstração de fé da comunidade lageana. "Este é um dia em que paramos um pouco com nossas atividades rotineiras para refletirmos sobre nossas atitudes no dia-dia. Um momento de muito respeito por tudo aquilo que Jesus passou em seus últimos dias antes da crucificação. É emocionante ver este sentimento de fé e esperança nas pessoas", disse. Acompanhado do deputado estadual Gabriel Ribeiro, o prefeito também prestigiou a encenação da Paixão e Morte de Jesus Cristo, realizada pelo Movimento do Tabor, da Diocese de Lages.

 

A senhora Lucia Souza dos Santos, moradora do bairro Coral, contou que sobe o Morro da Cruz há mais de 20 anos, numa demonstração de fé. "Lembro quando ainda não tinha as escadarias. Tínhamos que subir pela estrada ou pelas encostas. Era mais nova e a idade permitia isso. Agora subo lentamente pelas escadas fazendo as minhas orações".

 

Sábado de Aleluia

 

O Sábado de Aleluia será marcado pela Vigília Pascal, às 19h, nas paróquias da Diocese, onde haverá a Celebração Eucarística Benção do Fogo Novo. Às 21h15min iniciará a Procissão da Luz às escadarias do Morro da Cruz e às 22h haverá a encenação da Ressurreição de Jesus (celebração da vida), com fogos de artifício, luzes e sons (efeitos especiais).

 

Domingo de Páscoa

 

No Domingo, a partir das 8h, nas paróquias da Diocese haverá Celebração da Páscoa e romaria livre ao Morro da Cruz.

A Fundação Cultural de Lages também é parceira na realização dos eventos religiosos da Semana Santa 2017.

 
Publicado por Cris Menegon Sáb, 15 de Abril de 2017 08:28

Qualidade musical e diversidade foram os tópicos na escolha das composições

 

A noite de sexta-feira (14), no Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Barbicacho Colorado, foi de definição das 16 obras que irão disputar a décima sétima edição da Sapecada da Serra Catari [...]

Qualidade musical e diversidade foram os tópicos na escolha das composições

 

A noite de sexta-feira (14), no Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Barbicacho Colorado, foi de definição das 16 obras que irão disputar a décima sétima edição da Sapecada da Serra Catarinense. O Festival está programado para o dia 11 de junho, durante a 29ª Festa Nacional do Pinhão. A comissão julgadora, após pré-selecionar 50 composições na quinta-feira (13), de um total de 159, definiu a lista com as escolhidas. Confira:

 

1- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: BAITO

AUTOR DA LETRA: FELIPE SILVEIRA

AUTOR DA MÚSICA: ARTHUR BOSCATO

RITMO: RANCHEIRA

 

2- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: BATIZANDO "OS TARRO"

AUTOR DA LETRA: GILSON AGUIAR

AUTOR DA MÚSICA: MARCELO DONATO

RITMO: RANCHEIRA

 

3- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: BOLADA

AUTOR DA LETRA E MÚSICA: RENAN NETTO

RITMO: RASGUIDO DOBLE

 

4- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: COCHO DE SAL

AUTOR DA LETRA: RAMIRO AMORIM

AUTOR DA MÚSICA: ALBERTO VENTURA NETO

RITMO: VANEIRA

 

5- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: CONTESTANDO

AUTOR DA LETRA: MARCUS LEOBET, ANDRÉ ALFREDO COELHO, FELIPE SILVEIRA, ARTHUR BOSCATO

AUTOR DA MÚSICA: ARTHUR BOSCATO, ANDRÉ ALFREDO COELHO E FELIPE SILVEIRA

RITMO: MILONGA

 

6- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: COTIDIANO

AUTOR DA LETRA E MÚSICA: ANDRÉ ALFREDO COELHO

RITMO: MILONGA

 

7- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: DA VIDA SIMPLES DE CAMPO

AUTOR DA LETRA E MÚSICA: CONRADO BACH NETO JR.

RITMO: MILONGA CANÇÃO

 

8- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: FLOR DO BEM QUERER

AUTOR DA LETRA E MÚSICA: DANIEL SILVA

RITMO: VALSA

 

9- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: MADRINHEIRO DE TROPA

AUTOR DA LETRA E MÚSICA: RENATO ALUISIO GOMES

RITMO: CHAMARRA

 

10- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: MEMORIAIS DA NOSSA ORIGEM

AUTOR DA LETRA: IRADI CHAVES RODRIGUES

AUTOR DA MÚSICA: DANIEL SILVA

RITMO:TOADA

 

11- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: MOÇA

AUTOR DA LETRA E MÚSICA: KIKO GOULART

RITMO: MILONGA/MALAMBO

 

12- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: NA DOMA

AUTOR DA LETRA E MÚSICA: ÍNDIO RIBEIRO

RITMO: POLCA

 

13- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: NO MEU PAÍS

AUTOR DA LETRA E MÚSICA: ÍNDIO RIBEIRO

RITMO: MILONGA

 

14- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: O CORREDOR E SEUS ASSOMBROS

AUTOR DA LETRA E MÚSICA: ZETTI GAUDÉRIA

RITMO: MILONGA

 

15- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: RELATO DE DON RAMOS

AUTOR DA LETRA E MÚSICA: ALEXANDRE RAMOS

RITMO: CHAMARRA

 

16- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: TROPEIRO DAS LAGENS

AUTOR DA LETRA: IRADI CHAVES RODRIGUES

AUTOR DA MÚSICA: JONES ANDREI VIEIRA

RITMO: TOADA

 

Além das 16 músicas classificadas pelo corpo de jurados, ficam mais quatro na condição de suplentes. Isto está previsto no regulamento e ocorre caso se registre alguma desistência, plágio ou que se conste que não é uma obra inédita.

 

 


Atualizado em Sáb, 15 de Abril de 2017 08:31
 
Publicado por Cris Menegon Sáb, 15 de Abril de 2017 08:21

Debates e análises criteriosas tomaram a madrugada do Sábado de Aleluia na triagem para a 25ª Sapecada da Canção Nativa

 

O trabalho final de triagem das 16 canções para a Sapecada da Canção Nativa, realizado no Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Barbicacho Colorad [...]

Debates e análises criteriosas tomaram a madrugada do Sábado de Aleluia na triagem para a 25ª Sapecada da Canção Nativa

 

O trabalho final de triagem das 16 canções para a Sapecada da Canção Nativa, realizado no Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Barbicacho Colorado, começou na noite de sexta-feira (14) e teve seu complemento na madrugada deste sábado (15). O que era para ser anunciado apenas no período da manhã, foi antecipado para as primeiras horas do dia 15.

 

O processo de seleção foi criterioso, não muito distante da fase da Sapecada da Serra, mas gerou mais debates entre os jurados, o que estendeu ainda mais a decisão final. Assim como na Sapecada da Serra, a Sapecada da Canção Nativa também deixa quatro obras na suplência para o caso de desistência ou outros problemas com as demais composições.

 

O sistema de escolha foi a audição de gravações digitais com o acompanhamento das letras em um telão.

 

Confira a lista das escolhidas:

 

1- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: CAMINITO DE LEÑERO

AUTOR DA LETRA: EVAIR SUAREZ GOMEZ

AUTOR DA MÚSICA: LEONEL DA SILVA GOMEZ

RITMO: CHIMARRITA

 

2- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: CANTILENA

AUTOR DA LETRA: RAFAEL DE OLIVEIRA FERREIRA

AUTOR DA MÚSICA: KIKO GOULART

RITMO: MILONGA

 

3- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: ENFRENADA

AUTOR DA LETRA: MATEUS NEVES DA FONTOURA

AUTOR DA MÚSICA: RICARDO MARTINS

RITMO: MILONGA

 

4- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: ENTRE AS PEDRAS DO MEU CANTO

AUTOR DA LETRA: MATEUS NEVES DA FONTOURA

AUTOR DA MÚSICA: VITOR AMORIM

RITMO: MILONGA

 

5- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: LÁ D´ONDE EU VENHO

AUTOR DA LETRA: ROGÉRIO VILLAGRAN

AUTOR DA MÚSICA: ANDRÉ TEIXEIRA

RITMO:CHAMAMÉ

 

6- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: MALICIOSA

AUTOR DA LETRA: ROGÉRIO VILLAGRAN

AUTOR DA MÚSICA: ROGÉRIO VILLAGRAN

RITMO: RASGUIDO

 

7- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: MEU REDOMÃO COLORADO

AUTOR DA LETRA: RODRIGO BAUER

AUTOR DA MÚSICA: JARI TERRES

RITMO: MILONGÃO

 

8- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: NA ENCRUZILHADA

AUTOR DA LETRA: VOLMIR COELHO DOS SANTOS

AUTOR DA MÚSICA: VOLMIR COELHO DOS SANTOS

RITMO: XOTE

 

9- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: NOS CAMPOS DO AMARICÁ

AUTOR DA LETRA: GUJO TEIXEIRA – VALÉRIO TEIXEIRA

AUTOR DA MÚSICA: CRISTIAN CAMARGO

RITMO: CHAMAMÉ

 

10- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: O SILENCIO E A CAMPEREADA

AUTOR DA LETRA: SÉRGIO CARVALHO PEREIRA – ANDRÉ TEIXEIRA

AUTOR DA MÚSICA: RICARDO COMASSETO

RITMO: MILONGA

 

11- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: PEALAÇÃO

AUTOR DA LETRA: RAFAEL DE OLIVEIRA FERREIRA

AUTOR DA MÚSICA: MAICON DE OLIVEIRA

RITMO: VANEIRA

 

12- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: POTRILHO, POTRO E PINGAÇO

AUTOR DA LETRA: EVAIR SUAREZ GOMEZ

AUTOR DA MÚSICA: JULIANO GOMES

RITMO: CHAMARRITA

 

13- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: PROSA DE GALPÃO

AUTOR DA LETRA: ÉRLON PÉRICLES

AUTOR DA MÚSICA: ÉRLON PÉRICLES

RITMO: MILONGA

 

14- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: RANCHO DE BARRO

AUTOR DA LETRA: XIRU ANTUNES

AUTOR DA MÚSICA: KIKO GOULART

RITMO: CANÇÃO

 

15- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: SAUDADE É FUNDO DE CAMPO

AUTOR DA LETRA: GUJO TEIXEIRA

AUTOR DA MÚSICA: CRISTIAN CAMARGO

RITMO: TOADA

 

16- TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: VENENO

AUTOR DA LETRA: LISANDRO AMARAL

AUTOR DA MÚSICA: ROBERTO LUZARDO

RITMO: ZAMBA

 

A Prefeitura de Lages, através da Fundação Cultural, é a promotora das Sapecadas. A 17ª Sapecada da Serra Catarinense será no dia 11 de junho e a 25ª Sapecada da Canção Nativa está programada para o dia 12/06, onde acontece a fase classificatória, com a grande final programada para o dia 13 de junho no Palco Nativista, da 29ª Festa Nacional do Pinhão, no parque Conta Dinheiro.

 
Publicado por Cris Menegon Qui, 13 de Abril de 2017 11:17

Recebi um release da assessoria do Deputado Federal Celso Maldaner, onde ele sabiamente lembra que é preciso começar as reformas, assim como a conscientização política pelos vereadores, e ele está certissímo, temos que começar pelas bases. Coloco na integra.

  [...]

Recebi um release da assessoria do Deputado Federal Celso Maldaner, onde ele sabiamente lembra que é preciso começar as reformas, assim como a conscientização política pelos vereadores, e ele está certissímo, temos que começar pelas bases. Coloco na integra.

 

"Senhores nobres Vereadoras e Vereadores, gastos excessivos, impostos excessivos e excesso de Estado em nosso País, precisamos de austeridade monetária e fiscal, redução dos privilégios, abolição de tarifas protecionistas é forte redução da máquina pública como também excesso de custos nos poderes judiciário e legislativo. O Brasil não suporta mais, o poder produtivo não aguenta mais sustentar tantos privilégios em detrimento da maioria do povo brasileiro.

 

Vamos passar o Brasil à limpo, graças à Lavo Jato vamos acabar com a maior corrupção da humanidade. Precisamos votar as Reformas PREVIDENCIÁRIA, TRABALHISTA, TRIBUTÁRIA, e POLÍTICA. A Reforma Previdenciária como ela veio foi uma estratégia de governo para ser aperfeiçoada, mas graças ao diálogo com nosso Presidente Michel Temer, as regras foram modificadas: Segurado Especial, nosso agricultor familiar será respeitado, as regras de transição mais suaves, respeitando direitos adquirimos e mais escalonada, os Benefícios de Prestação Continuada não serão alterados, Pensões por morte e aposentadorias podem ser acumuladas para os menos favorecidos dentro do Regime Geral da Previdência, as aposentadorias especiais de nossos professores e policiais foram revistas, aposentadorias integrais com 40 anos de contribuição, e está sendo analisada as diferenças de idade entre gênero.

 

Com essas modificações já revi o meu voto. Sobre a Trabalhista todos os direitos serão respeitados, não estamos modificando nossa Constituição Federal e estamos dando uma quarentena de 18 meses para impedir troca de empregados formalizados por terceirizados e igualmente as mesmas condições entre terceirizados e formalizados no ambiente de trabalho, quanto ao acesso à saúde, alimentação e segurança. Repito todos os direitos respeitados: de 98 milhões ou 47% da população ativa, temos 38 milhões de trabalhadores formalizados, mais 14 milhões desempregados, 13 milhões precarizados que não tinham guarida e segurança jurídica e 33 milhões que se sentem desestimulados à procurarem um emprego. 60% das empresas não duram 5 anos no Brasil, estamos valorizando a NEGOCIAÇÃO COLETIVA com autonomia dos acordos com participação dos sindicatos e acabando com mais de 4 milhões de ações Trabalhista por Ano, mais SEGURANÇA JURÍDICA, onde o NEGOCIADO terá valor s/ o LEGISLADO.

 

Precisamos do apoio das Câmaras Municipais e manifestações públicas a favor das Reformas inclusive Tributária e Política. Não sendo assim ou caso contrário vem aí a lista fechada para voltar em 2019 os corruptos que estão na Lava Jato, anistia ao caixa 2, precisamos manifestações para acabar com FÓRUM PRIVILEGIADO e contra a legislação que v aí contra o abuso de autoridade e pedir para que a Câmara Federal vote a regulamentação do teto salarial RS 33.700,00. O Brasil tem jeito mas precisa das Câmaras Municipais, se não houver manifestações em favor das Reformas, as mesmas serão engavetadas e a pauta será os projetos que citei acima que sai maléficos, mas serão votados. Infelizmente o alto Clero e o comando das duas casas estão contaminadas, temos que acreditar no STF, no STJ e no Sergio Moro para quem não tem Fórum Privilegiado".


Obrigado.
Deputado Federal Celso Maldaner

 
Publicado por Cris Menegon Qui, 13 de Abril de 2017 08:40

A convite dos empresários da ACIl, as juízas do trabalho Andréa Haus Bunn e Patricia Sant'Anna participaram da reunião da diretoria, realizada na última segunda-feira (11/04). Elas, juntamente com o advogado e conselheiro consultivo ACIL, Jeferson de Oliveira, apresentaram sobre as alteraç [...]

A convite dos empresários da ACIl, as juízas do trabalho Andréa Haus Bunn e Patricia Sant'Anna participaram da reunião da diretoria, realizada na última segunda-feira (11/04). Elas, juntamente com o advogado e conselheiro consultivo ACIL, Jeferson de Oliveira, apresentaram sobre as alterações realizadas na lei da terceirização e as consequências disso no mercado de trabalho.

 

A Lei 13.429, conhecida como lei da terceirização, foi sancionada no dia 31 de março deste ano. A Lei, que tem apenas 3 artigos, modifica a redação e acrescenta alguns artigos na Lei 6.019/1974, que dispõe sobre o trabalho temporário nas empresas. As mudanças ocorreram mais precisamente no tempo de contrato permitido para o trabalho temporário. A antiga lei permitia contrato temporário por 90 dias e agora passou para 180 dias consecutivos podendo ser prorrogado por mais 90 dias.

 

Além disso, a partir de agora, qualquer empresa pode terceirizar as atividades fim de sua empresa, anteriormente era permitido somente a terceirização de atividades meio como limpeza, vigilâncias, etc. "Essa lei autorizou que você tenha trabalhadores contratados na sua empresa. Uma concessionaria de veículos pode contratar uma oficina mecânica para prestar serviço lá dentro, isso é atividade fim", explicou a juíza Andreia Haus Bunn.

 

Segundo as magistradas, as consequências disso para as empresas tomadoras do serviço podem ser mais negativas do que positivas. "Muitas das empresas que fornecem mão de obra não tem muito patrimônio, elas fecham de uma hora para outra e a rescisão fica a encargo da contratante", destacou a juíza, ressaltando o princípio da solidariedade. "Eu não consigo enxergar um benefício direto em longo prazo, acho que o risco é alto. Isso é bom para quem fornece a mão de obra, não é bom para o tomador e nem para o trabalhador", alertou ela.

 

A Juiza Patricia Sant'Anna destacou, ainda, que o que está sendo discutido há algum tempo são os vários meios de interpretação para não possibilitar esse tipo de terceirização. "Nós somos juízas do trabalho e temos que dar valor ao trabalho do ser humano. A terceirização denigre o trabalho do trabalhador. Em curto prazo não, mas em longo prazo, as empresas contratantes vão sentir no bolso a terceirização de atividade fim e de forma irrestrita", destacou ela.

 

Debora Puel

 


Vídeo em Destaque

Programa Papo De Mulher: Escolha das Soberanas da Festa do Pinhão 2017
Publicidade

fabianamassas

aguasdepalmas

 

 

garden

 

 

 unifacvestmarco

  

 

camara2015ok

 

 

 

 

anucio1

TELALAGES

caes1

papo mulher